:: Orquídeas do Rio Grande do Sul :: Isabelia violacea
Bem-vindo visitante [Login]
Isabelia violacea (Lindl.) Van den Berg & M.W.Chase
Cássio Van den Berg & Mark Wayne Chase, Lindleyana 16: 109. (2001).

Sophronitis violacea Lindl., Edwards's Bot. Reg. 26(Misc.): 18. (1840). (basiônimo)
Sophronitis violacea var. alba Barb.Rodr., Gen. Spec. Orchid. 2: 160. (1882).
Isabelia violacea f. alba (Barb.Rodr.) F.Barros, Hoehnea 30: 182. (2003).


Descrição

I.violacea foi descrita em 1840 por Lindley, como Sophronitis violacea, passando para o gênero Sophronitella em 1925, quando este foi proposto por Schlechter. Em 2001, Cássio van den Berg e Mark Chase transferiram a espécie para o gênero Isabelia.
Como as demais espécies do gênero, é espécie monofoliada, apresentando com uma a três flores por inflorescência. Floresce no inverno e ocorre do sul da Bahia até o Rio Grande do Sul, avançando também para a região de Goiás, e é considerada uma das espécies de Orchidaceae que ocorrem tanto na mata atlântica quanto no cerrado. Apresenta pseudobulbos bastante agrupados por rizoma curto, com flores de colorido violáceo que dão nome à espécie. Pode ser encontrada vegetando tando como epífita como rupícola, geralmente em ambientes com boa luminosidade.
Os pseudobulbos são sulcados e medem 1,5 a 3cm de comprimento por 1,5 a 2cm de diâmero. São monofoliados; as folhas medem entre 2 e 7cm de comprimento por 0,2 a 0,6cm de largura, com forma oblonga a lanceolada. A inflorescência surge da base do pseudobulbo portando de uma a três flores num pedúnculo entre 1 e 3cm de comprimento em média, e pedicelos de 1,5 a 2cm de comprimento. As sépalas têm forma lanceolada, com medidas mais ou menos iguais; a sépala dorsal é geralmente um pouco mais curta, com 1,7 a 1,9cm de comprimento por 0,4-0,5cm de largura, enquanto as sépalas laterais medem 2 a 2,2cm de comprimento pela mesma largura da sépala dorsal. As pétalas têm forma lanceolada e apresentam mais ou menos o mesmo comprimento das sépalas (2-2,2cm de comprimento em média) mas são um pouco mais largas, com 0,7-0,8cm de largura. Tanto pétalas quanto sépalas apresentam ápice agudo.
O labelo tem forma ligeiramente espatulada, margens lisas e mede entre 1,5 e 1,6cm de comporimento por 0,6 a 0,8cm de largura. Apresenta a base um pouco esbranquiçada.
A coluna é de um colorido um pouco mais escuro que as pétalas e sépalas e mede cerca de 0,5cm de comprimento por 0,2cm de largura. Apresenta asas laterais em torno da cavidade estigmática, com cerca de 0,3cm de comprimento.
Existe uma rara variedade com flores de colorido branco, e foi descrito por Leinig no fim dos anos 60 um híbrido natural entre ela e I.pulchella, Isabelia x pabstii (antes conhecida como Isanitella x Pabstii).

Época de floração

Janeiro
Fevereiro
Março
Abril
Maio
Junho
Julho
Agosto
Setembro
Outubro
Novembro
Dezembro


Fotos



Estudos





Site desenvolvido por Jacques Klein